Vira e Mexe

Eu não me aquieto mesmo. Eu até aquietaria se encontrasse alguém capaz de manter-me entretida. Mas tá difícil isso. Continuo encontrando-me com Peixe, mas a coisa é tão ocasional (e a culpa não é exclusiva dele) que desanima-me. Quando eu posso, ele está enrolado no trabalho ou viajando. Quando ele me liga com tempo livre eu estou enrolada e sem tempo.

Outro dia estava conversando com o Lauro, via msn, e comentei com ele que eu precisava arrumar um “amante fixo”, porque estou cansada dessa busca. E quem é Lauro, afinal? Lauro é um amigo colorido e atualmente estamos “dando um tempo” porque ele foi morar em outro Estado, e isso inviabilizou nossos encontros. Ele é do meio swing, já tentou levar-me (e eu sempre escorrego, minha situação não permite tanta exposição), ele é lindo, inteligente, tentou casar e não deu certo e eu fui o ombro amigo para ele chorar as mágoas, ele vive dizendo que voltará a morar aqui perto e então voltaremos a nos encontrar. Então ele falou-me que tem um amigo que trabalha aqui, ou seja, mora aqui em dias de semana e em outra capital nos finais de semana, onde, nesta outra cidade, é um sujeito casado, porém também são eles swingers (eu conheço uma pá de gente desse meio). Perguntou se eu estava afim de falar com ele e eu disse que se o cara quisesse, poderia dar o meu msn para ele, o que foi feito na hora, pois todos estavam on-line e comecei a conversar com o Blue. Resolvi abrir exceção à regra sobre não envolver-se com caras comprometidos visto que o casal é do meio liberal e que ela não mora na mesma cidade que eu, e então fui conhecê-lo. Ele é bonito, atraente, inteligente, bem-humorado, tem uma pegada gostosa e eu estou aprendendo a gostar de barba, ele usa e fica um charme (além de ser bonita e bem cuidada e blá-blá-blá e vai por terra mais um conceito meu).

Apesar de tudo estar dando certo, deve ter alguma uruca em cima de mim… Devido às nossas “agendas”, o melhor dia para vermo-nos com tranqüilidade é a segunda-feira, no entanto a bruxa anda solta: numa segunda o voo atrasou e ele chegou aqui somente a noite, na outra foi infelizmente marcada uma reunião, na outra eu estava “naqueles” dias e tive contratempos com minha filha e nesta semana ele foi enviado a outra cidade, logo não veio para cá. Isso é tão desanimador que às vezes penso em desistir do Blue e continuar procurando alguém que seja mais disponível.

Uma das coisas que eu e Blue fazemos bastante via msn é ficar trocando músicas no Youtube. Ando fuçando tanto este site para encontrar músicas que gosto, que acabo encontrando outras que eu não conhecia ou não lembrava existirem. Uma das quais estou no momento apaixonada é esta do Oswaldo Montenegro:

Anúncios

Frase de Efeito -12

Não tem mulher difícil, o que tem é oportunidade fraca.

Peixe na Rede

Dizem por aí que a web é uma rede. Pois bem, dizem e é. Mas agora acabei de confirmar, é rede e tem peixe. E não estou falando de lambari, estou falando de peixe grande, tipo tubarão.

O moço é realmente grande, um santo remédio para uma pessoa que andava triste como eu, estou simplesmente a-do-ran-do o tratamento. Mas por enquanto não posso falar muito, nos vimos poucas vezes e na última rolou uns amassos deliciosos. Ele é muito educado, atencioso, cuidadoso, uma delícia de homem. E paciente. Amei!!!

Eu o conheci pela net no começo de maio, ou seja, antes do desfecho com Pp. Quando voltei da viagem que fiz calhou de conversar de novo com ele e novamente ele convidou-me para almoçar. Não almoçamos, mas tomamos um café no final do dia, uns dias depois. Fiquei muito bem impressionada com ele, pois educação, inteligência e bom humor são excelentes afrodisíacos. Óbvio que além disso ele também é fisicamente muito atraente.

Então é isso. Nova etapa.

Era Vidro e Se Quebrou

Estou há dias afastada da internet e de todo o mundinho virtual. Veio bem a calhar a minha impossibilidade de estar na rede com a necessidade de não estar. Meu quase romance com Pp estava indo bem, ao menos para mim, dentro das minhas possibilidades. Ele já havia comentado que queria uma namorada, alguém que pudesse estar disponível nos horários dele. Então ele começou a trabalhar em outro local, conheceu alguém e já era eu e ele. Fiquei mal, eu gostava demais da companhia dele, das nossas risadas e idiotices, entre outras coisas.

Mas a vida é assim. Mutante. Então esses dias em que me encontro distante do virtual possui também um esforço pessoal para não estar na rede, assim evito vê-lo por aqui. Eu não quero saber como ele está, o que está acontecendo na vida dele e nem quero saber se ele está feliz ou não. Também não quero que ele saiba de mim e quero perder a necessidade de falar com ele, como fizemos nos últimos três meses, falando-nos diariamente pela rede por horas e horas. Quero que ele morra para meus sentimentos, que volte a ser o que era há três meses atrás: nada.

Mas também é inevitável não espiar a nova vida dele, e dessa forma acabei entrando em sua página, vi um recado daquela que imagino ser a minha algoz e passei mal pra Cacilda. Minha pressão caiu bruscamente e eu tive que sair do computador e ir deitar-me. Hoje já é o dia seguinte e não estou totalmente recuperada do choque. Por outro lado usei minhas pequenas doses de sarcasmo e veneno para escrever diletos poemas e assim acabei divertindo-me um pouco.

Onde me encontro hoje não é um bom lugar, fisicamente falando, emocionalmente falando, e isso nada tem a ver com o Pp e os acontecimentos da semana. Aqui é um fim-de-mundo e apenas encontro, em cada esquina, problemas. Eu deveria ajudar essas pessoas, elas são caras para mim, mas não sei se conseguirei. Estou aqui para tentar isso. Mas não deixo de pensar em Pp e de sentir sua falta. Queria muito voltar ao meu lugar e encontrá-lo esperando por mim, e isso não acontecerá. Estou um tanto desolada por essas coisas todas e preciso transformar isso em combustível para seguir em frente com meus planos.

É isso. Registrando esse momento chato e colocando um ponto final na historinha Ali + Pp.

31/mai/09

Enquanto Isso na Sala de Justiça…

É, eu não consigo evitar. Quando eu disse ao MV que tinha vontade de encontrar-me com o B., esse encontro já havia ocorrido. Um mês depois encontrei-me com o Ninfeto e realizei o desejo de sodomizar um cara. Logo depois disso conheci num chat o Pp, enquanto tentava aproximar-me do Lú. Conheci o Lú num site, depois num café, achei ele interessante, conheci o Pp num fast-food, achei-o interessante. Lú estava bem reservado comigo até que um dia abriu o jogo de lá e eu de cá. Enquanto isso, Pp ia em banho-maria. Banho-maria em termos, porque a gente se via de vez em quando, uma coisa meio adolescente, quase pura (acho engraçado, na minha idade, haver algo “quase puro”). Eis que na mesma semana que dá certo sair feito gente grande com o Lú, dá certo com o Pp. Ou seja, os dois banhos-marias cozeram quase juntos.

Num dia estava com Lú, morrendo de nervosa porque eu acho o cara simplesmente demais. E é. Maduro, corpaço, super bom-humor, me faz rir pra cacilda com suas histórias hilárias e fode muito. Quase chegou perto de me fazer pedir arrego. Quase, porque eu também sou dura na queda. Lú é amigo, um amigo para tudo o que eu precisar, inclusive para tardes quentes. Dia seguinte estava com Pp e eu com medo de compará-lo ao Lú e ele acabar perdendo na comparação. Sim, porque Lú é mais velho que eu e Pp é dez anos mais novo e isso, em termos de maturidade sexual faz uma grande diferença. No entanto eu a-d-o-r-o estar com Pp: ele é piadista, engraçado, muleque, gostoso, é um garoto nescau – energia que dá gosto. Fez tudo direitinho, deu-me uma canseira fdp e depois ficamos na cama fazendo piada com tudo. Essa é uma das coisas que mais gosto nele, a capacidade de fazer-me rir. Juntos, somos dois idiotas e isso é ótimo. Não tenho que ser séria com ele, posso falar o que vem à minha cabeça, podemos falar de nossos ex, podemos apreciar alguém interessante que passa por nós e podemos rir de tudo isso, inclusive um da cara do outro. Porque não é apenas o Pp que me faz rir, eu também faço o Pp rir. É uma troca e estou adorando isso. Não sei até quando irá durar, a gente nunca sabe, mas espero que dure um bom tempo assim.

Pp é assim, essa música é sua cara. Ou quase.

Inrretudes

Menina Má me impressionou. Um amor assim não é normalmente visto por aí e senti-me um pouco parecida com ela. As aventuras e viagens da menina são semelhantes aos meus desejos antigos e inesquecidos, mas ao contrário dela sempre permaneci ao lado de meu Ricardito, levando uma vida pequeno-burguesa de dona de casa da classe média. Minhas travessuras sempre são cuidadas o suficiente para que o bom menino não tome-se por exaspero suficiente para deixar-me e então fazer com que eu me torne a figura esquelética, doente, solitária e sem teto que eu temo, desde os primórdios da minha vida. Isso não significa que meu Ricardito não se aperceba de minhas traquinagens, talvez apenas não tenha disposição suficiente para buscar a certeza, pois a certeza nos impele a decisões que às vezes contém um preço que não nos dispomos a pagar. Por vezes, a ignorância é uma benção, pois nos mantém num estado de tranqüilidade e conforto perfeitamente toleráveis.

Os caminhos de Lily são tortuosos e fascinantes. Dolorosos, por vezes, assim como poderiam ter sido os meus caso houvesse cedido aos meus impulsos beligerantes. Não sei que maldido bom-senso manteve-me impávida durante tantos anos e suas travessuras fizeram-me pensar nas minhas, Somocurcio tem um pouco de Ulisses, embora com uma bondade, uma paixão e uma devoção muito mais ampla e altruísta, muito mais aberta e declarada, muito mais amante e fiel.

Durante essa semana o que mais me ocorreu foi a frase de uma música que, por acaso, ouvi na rádio no caminho entre casa e trabalho: “… por te ver andando reto entre tudo que há de incerto em mim…” e desde então esse refrão martela em minha mente junto com minhas “inrretudes”, se assim posso chamar, com devida licença de Aurélio.